Compartilhando idéias para alcançar a liberdade financeira.

Posts marcados ‘Tesouro Direto’

IPCA e IGP-M: Inflação Histórica no Brasil

De acordo com o último relatório Focus do dia 11/02/2011 [link], espera-se uma inflação (IPCA) de 5,75% em 2011. As expectativas para o IGP-M em 2011 estão no patamar atual de 6,33%.

A alta inflação esperada, visivelmente acima da meta do Banco Central, em 4,5%, é um dos principais desafios para que nossa economia continue crescendo de forma sustentável. A preocupação é tamanha que já é esperada uma Meta Selic para o final de 2011 em 12,50%.

No artigo de hoje trago uma pequena análise sobre a inflação no Brasil desde o ano de 1995, período que sucedeu a efetivação do Plano Real, em julho de 1994.

Inflação Anual: IPCA e IGP-M desde 1995

Clique na imagem para ampliar

O gráfico acima traz a inflação anual dos dois principais índices de inflação, o IPCA e o IGP-M. Notem como o IGP-M é mais volátil do que o IPCA. Sua média anual neste período [ 1995 – 2010 ] é de 9,56% enquanto do IPCA é de 7,52%.

A única variação negativa da série ocorreu em 2009, quando o IGP-M registrou deflação de 1,71%.

O sucesso do Plano Real foi imediato, com uma inflação declinante no período de 1995 até 1998. Entretanto, entre os anos de 1999 e 2003, o dragão (a inflação) voltou a mostrar suas caras. No ano de 2002 o IPCA registrou alta de 12,53% enquanto o IGP-M registrou alta de 25,30%.

Últimos 5 anos. De 2006 até 2010, a inflação recuou para patamares “normais”, com o IPCA controlado entre 2,5% (limite inferior) e 6,5% (limite superior), de acordo com o sistema de metas de inflação do Banco Central.

Meta de Inflação do Banco Central

Clique na imagem para ampliar

Embora a inflação tenha recuado no período de 2002 até 2006, observamos uma inflação efetiva crescente nos últimos anos. Com o alto crescimento da economia, controlar a inflação será um dos fatores-chave para o sucesso do atual governo. Será que eles terão êxito em suas políticas econômicas?

Como se proteger da inflação? Como investidores, nunca podemos confiar na capacidade de outros agentes em cumprir suas metas e deveres. Devemos sempre considerar que o futuro é imprevisível e que realmente qualquer cenário possa ocorrer. E uma das maneiras mais inteligentes de se proteger contra a inflação é comprar títulos públicos indexados a inflação, através das NTN-Bs, ofertadas pelo Tesouro Nacional.

Retorno Esperado da NTN-BP 2015. Deste modo, o investidor terá uma taxa pré-definida + a variação do IPCA anual. A NTN-B Principal com vencimento em 2015 está oferecendo uma taxa atual de 6,58%. Logo, se o IPCA convergir para a expectativa de 5,75% que comentamos no início do artigo, teremos um retorno (bruto) de 12,71% em 2011. A taxa real já é a própria taxa oferecida, de 6,58%.

Vale lembrar que o cálculo correto não é a soma das taxa. Neste caso, o correto é: ( 1 + 0,0658 ) * ( 1 + 0,0575)  -1 = 0,1271.

Deixe sua opinião. Como você vê a inflação nos próximos anos? Qual tipo de investimento você utiliza para driblá-la?

Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

Com o aumento do juro previsto para este ano de 2011, as taxas dos títulos públicos subiram bastante, tornando-se atrativos investimentos para os investidores.

Ao longo deste artigo você terá acesso aos seguintes tópicos:

  • 1. Todos os custos presentes no investimento em títulos públicos
  • 2. Cálculo da Inflação Implícita para diversos anos desejados
  • 3. Aproximação de cálculo para a Rentabilidade futura dos títulos posfixados
  • 4. Tabela Final com o Retorno Líquido para todos os títulos ofertados no Tesouro Direto

Veja abaixo o rendimento atual oferecido pelos títulos públicos:

Títulos prefixados passaram a oferecer taxas superiores a 13% ao ano.

Entretanto, ao acessarmos a página do Tesouro Direto é possível constatar apenas o retorno bruto dos títulos. Ou seja, uma taxa de 13% ao ano oferecida pela LTN com vencimento em 2013 não inclui os diversos custos na operação com este título.

Custos para investir no Tesouro Direto

1. Taxa de Negociação

  • 0,10% sobre o valor da operação.

2. Taxa de Custódia

  • 0,30% ao ano sobre o valor dos títulos.

Para saber mais, leia o artigo “Taxas cobradas no Tesouro Direto“.

3. Taxa dos agentes de custódia (corretoras):

  • É cobrada livremente e varia de 0% até 1% ao ano.

Veja a lista das melhores corretoras para investir no Tesouro Direto neste artigo do meu amigo Rafael Seabra, do site Quero Ficar Rico.

4. Imposto de Renda

O imposto cobrado é semelhante aos fundos de renda-fixa. A tabela do IR é a seguinte:

  • 22,50%, em aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20,00%, em aplicações com prazo de 181 dias até 360 dias;
  • 17,50%, em aplicações com prazo de 361 dias até 720 dias;
  • 15,00%, em aplicações com prazo acima de 720 dias.

Para maiores detalhes, veja o artigo “Tributação do Tesouro Direto“ no site Quero Ficar Rico.

Retorno Líquido dos Títulos do Tesouro Direto

Com todos os custos acima podemos trabalhar nos dados do Tesouro Direto para calcularmos o Retorno Líquido de cada título oferecido. Entretanto, devemos, antes, fazer algumas suposições:

1. Inflação Implícita

Títulos Públicos indexados ao IPCA possuem dois componentes em sua taxa anual:

  • (1) Taxa prefixada – A taxa apresentada no Tesouro Direto – Ex. NTN-B 15/05/2015: 6,47%.
  • (2) Variação do IPCA no período – Ano passado (2010), o IPCA registrou alta de 5,91%.

Portanto, a taxa (bruta) deste título seria de 12,76%, utilizando a fórmula: ( 1 + 0,0647) x ( 1 + 0,0591) -1 = 0,1276.

Entretanto, não sabemos qual será a inflação para cada vencimento dos títulos indexados ao IPCA. Como então calcular a inflação implícita para 2015, 2017, 2020, etc?

Fórmula para Inflação Implícita: [ ( 1 + Taxa DI Futuro ) / ( 1 + Taxa NTN-B ) ] -1 – Spread

Exemplo: Inflação Implícita para 2015: [ ( 1 + 0,1289 ) / ( 1 + 0,0647 ) ] – 1 – 0,002 = 6,03%

É necessário retirar o spread pelo fato dos títulos prefixados apresentarem maior retorno (e maior risco) em relação aos títulos indexados ao IPCA com mesmo vértice (vencimento). Logo, citando um exemplo, uma LTN 2015  é considerada mais arriscada do que uma NTN-B 2015, de acordo com dados históricos.

Portanto, embora não seja possível atribuir um valor exato para o desconto do spread, resolvi atribuir livremente um pequeno valor de 0,20% para o spread.

2. Taxa dos Títulos Posfixados

Os títulos posfixados tem como rentabilidade a Taxa Selic Média do período. Portanto, como calcular a taxa destes títulos se não sabemos qual será a taxa Selic daqui a 1, 2 ou 5 anos?

Com o intuito de facilitar os cálculos utilizados, optei por realizar apenas um média entre a Meta Selic atual (11,25%) e a taxa de juros futura para os diferentes vencimentos, 2015 e 2017.

Você pode acessar as taxas de juros futuras para diversos vencimentos neste link, da própria Bovespa.

Logo, basta verificar as taxas do DI Futuro e calcular a média com a Meta Selic atual. Neste caso, temos 12,89% para o vencimento em 2015 e 12,79% para 2017.

3. Alíquota Média para o IR

Calcular a alíquota do IR para os títulos sem cupom é fácil. Basta seguir a tabela de IR exposta anteriormente no artigo. Entretanto, o problema aparece nos títulos com cupom.

Visando simplificar nosso modelo, não considerei o efeito do IR nos cupons. Em termos práticos, a alíquota de IR média para a NTN-B 15/05/2035 é de 15,12% [fonte]. Portanto, como a diferença entre a alíquota de IR é de apenas 0,12% para o título sem cupom (NTN-B Principal 15/05/2035) e esta alíquota incide apenas sobre os lucros, optei por simplificar os cálculos.

Resultado Final

Após juntar todos estes dados e cálculos podemos, enfim, calcular a rentabilidade líquida dos títulos do tesouro direto.

Ranking de Rentabilidade:

  • 1. Prefixados
  • 2. Indexados IPCA
  • 3. Posfixados

Lembrete de sempre: Embora os dados possam sugerir uma maior rentabilidade em um título ou outro, o ideal é procurarmos sempre diversificar nossos investimentos, já que o futuro não nos pertence e os dados apresentados acima podem ser diferentes na realidade futura.

Gostou do artigo? Tire dúvidas, comente, compartilhe!

Como Importar e Atualizar Dados da Web para o Excel?

Neste mês de setembro, temos abordado o assunto planilhas e cálculos financeiros aqui no HC Investimentos. Vimos como calcular juros compostos, rentabilidades mensais e anuais, reais, nos últimos 12 meses, risco anual, correlação entre ativos, enfim, todos os cálculos necessários para avaliarmos melhor um determinado investimento.

Se você ainda não fez o download destas planilhas, acesse este link contendo todo o acervo dos artigos abordando os temas citados anteriormente.

Agora que já temos a bagagem necessária para a avaliação, podemos dar o próximo passo, que é saber onde buscar dados, como importá-los para o excel e como atualizá-los de forma rápida e organizada.

Portanto, no artigo de hoje, veremos como importar e atualizar os dados do Tesouro Direto (preços e taxas dos títulos públicos) para que possamos ter em nossa planilha informações atualizadas, sem precisar ficar a todo momento verificando o site do Tesouro Direto.

Faça o download da planilha para ir acompanhando o passo-a-passo descrito ao longo deste artigo.

1. Como importar dados da web?

Nesta fase inicial, tudo o que precisamos fazer é utilizar o procedimento do Excel “importar dados”. Existe um ótimo tutorial para esta tarefa que pode ser acesso através deste site. Após aprender o procedimento de importação, veja abaixo como organizar os dados, pegar apenas os dados necessários e atualizá-los através de um único botão.

Ao concluir esta fase, seus dados devem estar apresentados de forma parecida com esta imagem:

Com os dados importados na planilha, nos resta formatá-los, destacarmos os dados relevantes para nós em uma nova tabela e saber como atualizá-los. Todos os processos são descritos em detalhes a seguir.

(mais…)

Carteira HC Investimentos – Julho/2010 [+3,33%]

2010 pode não ser um bom ano para muitos que investem de forma concentrada em ações, já que o Ibovespa apresenta uma queda de -1,56% no ano. Entretanto, 2010 está sendo *excelente* para a carteira HC Investimentos, que acumula um impressionante ganho de 7,50%, acima até mesmo do CDI, cuja rentabilidade é de 5,15%.

Carteira HC Investimentos supera todos os tipos de multimercados no ano de 2010.

A rentabilidade no ano do melhor tipo de fundo multimercado, o multimercado estratégia específica, foi de 6,52% no ano de 2010, valor praticamente 1% abaixo da rentabilidade apurada na carteira HC Investimentos, de 7,50%. Veja mais detalhes neste link (PDF).

  • Desempenho da carteira no mês

Com o forte avanço do Ibovespa no mês de julho (10,80%), a Carteira HC Investimentos, com uma alocação em torno de 30% em Bolsa, alcançou uma rentabilidade de 3,33% contra um CDI de 0,86%.

Mesmo os melhores fundos multimercados não conseguiram um ótimo desempenho neste mês, tendo o melhor deles (CSHG Verde) um resultado de 1,44%.

Acompanhe no gráfico abaixo a evolução da rentabilidade acumulada da Carteira HC Investimentos e de seus benchmarks.

A Carteira HC Investimentos volta a superar todos seus benchmarks em 2010. É importante lembrar que o benchmark oficial sempre será o CDI, porém, ao adicionar os melhores fundos multimercados como comparação, traçamos um objetivo de se equiparar a indústria de fundos profissionais.

Vamos analisar em detalhes os motivos deste ótimo desempenho.

(mais…)

Carteira HC Investimentos – Junho/2010 [-0,07%]

O índice bovespa já acumula uma perda de -11,17% neste ano de 2010. Se você está vendo seu capital diminuindo e sente-se desconfortável com a magnitude da perda, o site HC Investimentos é o local correto para você conhecer mais sobre uma estratégia pessoal de gestão de investimentos,  acumulando e preservando o seu tão suado dinheiro.

A carteira HC Investimentos, ao contrário da bolsa brasileira, acumula um ganho de 4,03% no ano. Acompanhe-nos neste artigo para descobrir mais sobre como obter sucesso em mercados difíceis e voláteis.

Seja seu próprio Fundo de Investimentos. A alocação de ativos é a maneira com a qual você distribui seus investimentos em sua carteira. É ela quem definirá o sucesso ou fracasso de suas aplicações. Portanto, tenha em mente uma estratégia bem definida do quanto se posicionar em cada ativo e classe de ativos.

  • O mês de Junho/2010

No mês de junho, o CDI teve uma rentabilidade de 0,79%. Já o índice bovespa teve uma rentabilidade de -3,35%, o que corroborou para uma rentabilidade líquida da carteira HC Investimentos de -0,07%.

Mês difícil, excelente gestão de carteira. Embora um resultado negativo (mesmo que tão pequeno quanto -0,07%) nunca seja de fato bom, ele foi comemorado por minha parte, já que diversos fatores apontavam para perdas bem maiores neste mês. A regra número 1 dos investimentos pôde ser aplicada em junho: Preserve seu capital.

(mais…)

Carteira HC Investimentos – Maio/2010 [+0,72%]

O mês de maio trouxe de volta a elevada volatilidade para o mercado financeiro. O índice bovespa chegou a cair praticamente -15% durante o mês, fechando com um rendimento negativo de -6,64%.

Enquanto a preocupação e o desespero tomavam conta da mente de vários “investidores”, a carteira HC Investimentos pode desfrutar de enorme tranquilidade, apresentando um excelente rendimento de +0,72% no mês de maio.

  • Mágica, Segredo, Astrologia?

Com a bolsa caindo -6,64% quem obtém um resultado positivo é muito bem visto pelo mercado, criando até mesmo uma atmosfera mística perante a pessoa. Entretanto, não há nenhum segredo por trás das operações. Existe apenas uma excelente escolha dos investimentos, a alocação de ativos.

Alocação de ativos. A maneira com a qual você distribui seus investimentos em sua carteira é quem definirá o sucesso ou fracasso de suas aplicações. Portanto, tenha em mente uma estratégia bem definida do quanto se posicionar em cada ativo e classe de ativos.

(mais…)

FII – Retrospectiva Pessoal

Olá amigos!

Ultimamente o tempo está bastante escasso por conta de projetos pessoais. Por conta disso, precisarei dar uma diminuida nos artigos do blog. Espero que entendam!

Como compromisso, havia prometido de falar sobre minha experiência com os FII. Assim sendo, irei falar sobre minhas operações com os FII. Vamos lá:

(mais…)

%d blogueiros gostam disto: